O orgulho que não é legal

  • Post author:
  • Post category:Sem categoria

No dicionário, “orgulho” é um sentimento positivo de satisfação com uma conquista pessoal, individual. Mas, ao mesmo tempo, se exagerado, pode ser entendido como soberba, vaidade ou arrogância. Quando esse conceito é encontrado em um líder, tudo se complica, porque os efeitos abrangem não apenas o profissional, mas toda sua equipe e seu ambiente – que fica, de certa forma, doente.

É o orgulho que impede um ótimo profissional de falar não a uma promoção para um cargo para o qual não se tem o perfil ideal. Saber suas limitações, e conviver com elas, requer boa dose de humildade e de disposição para encarar de frente os comportamentos que ainda podem melhorar.

É assim que muitos líderes se tornam líderes: são profissionais orgulhosos demais para assumir que não estão prontos para a função. É o orgulho que os impede de protelar um desafio para o qual não estão preparados.

Orgulhoso é o líder que já sabe de tudo. Fez todos os treinamentos e cursos que valiam a pena. Ouviu falar de todos os assuntos que interessam. Conhece todos os tipos de profissionais e viveu todas as situações possíveis no ambiente de trabalho. Aparentemente, não tem mais o que aprender.

O líder orgulhoso não ouve, não escuta. Não tem tempo para isso. Está sempre ocupado, atarefado, envolvido em algo mais importante. A agenda da equipe depende do “tempo que sobra”. Os feedbacks são de mão única, muito mais parecidos com distribuição de tarefas do que com uma conversa.

Esse líder orgulhoso dificilmente enxerga a necessidade de rever conceitos, então vai sempre adiar a oportunidade de, por exemplo, investir num processo de coaching. Porque uma vez que se sabe tudo, não há o que ser aperfeiçoado. Não há pontos fracos individuais. Geralmente as limitações para o desenvolvimento de todo o potencial profissional estão nos outros, estão nas condições de trabalho, na alta direção, etc. É um beco sem saída, porque se os problemas estão nos outros, numa abordagem mais pragmática, não há o que ser feito.

Podemos, também, ter comportamentos orgulhosos. Em algumas situações, ou em relação a algumas pessoas em específico, podemos deixar aflorar em nós um líder orgulhoso que em nada contribui para o alcance de metas na organização. Um dos maiores danos é o desgaste causado na equipe – ou o enfraquecimento dos laços que costumam manter conectados os colaboradores rumo a um objetivo.

Chegando aqui, fica a provocação: você é, ou está sendo, um líder orgulhoso? Fique atento.

 

Giovanna Caseli é coach executiva, pessoal e de carreira. Focada em conectar membros de famílias empreendedoras. Saiba mais em www.giovannacaseli.com.br.